Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

EDUCAÇÃO EM GARANHUNS: Prefeito Izaías Régis, sancionou a Lei que veda a adoção da ideologia de gênero na Rede Municipal de Educação

Camila Queiroz / Secom PMG
Na tarde desta quarta-feira (13), o prefeito de Garanhuns, Izaías Régis, sancionou a Lei nº 4432/2017, que veda a adoção da ideologia de gênero nas práticas pedagógicas no cotidiano das escolas da rede Municipal de Ensino. Através do documento, assinado na presença de representantes da sociedade civil, Instituto Histórico Geográfico e Cultural de Garanhuns, Igrejas Católica e Evangélica “é vedada a abordagem direta ou indireta, bem como a prática de atividades pedagógicas, inclusive extraclasse, sobre temática referente a teoria, questões, identidade ou ideologia de gênero”. Estiveram presentes ainda os vereadores Audálio Ramos, autor do projeto de lei, Daniel Silva, Carla Patrícia, Alcindo Correia, Luzia Cordeiro, Gerson Filho e Ary Souto, o vice-prefeito Haroldo Vicente e secretários municipais de diversas pastas. A Lei resguarda como princípios educacionais a igualdade de condições, liberdade de aprender, ensinar, pesquisar e divulgar o pensamento a arte e o saber e o pluralismo de ideias e de concepções pedagógicas. A Câmara de Vereadores tinha aprovado em duas votações, por 11 a um, o projeto de lei que tratava do assunto. O documento assinado pelo gestor municipal será enviado para publicação no Diário Oficial dos Municípios e passa a valer na data de publicação.

Fonte: Secom PMG

quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

GARANHUNS: Empresa de bebidas criada no município comercializa para maior parte do Nordeste e para a Europa

“De uma coisa eu tenho certeza, estamos apenas começando o trabalho que eu sonho”, afirma o empresário Cirilo Gomes a reportagem do Jornal Bons Negócios.
Foto: Ademar Souza
“Uma empresa familiar, com muito orgulho”. A definição de Cirilo Gomes para a atual Ciber (Comércio e Indústria de Bebidas e Representações Limitadas) demonstra o quanto, desde o início, a empresa tem sido tratada como a construção contínua de algo maior e em constante crescimento. O diretor presidente conta a trajetória da instituição que existe há 32 anos, relembrando, que é necessário dedicação para atingir o nível atual do empreendimento.
Nascido em Quipapá, Cirilo Gomes trabalhava como padeiro em uma padaria de Garanhuns, quando a comprou em uma negociação baseada apenas em algo que era comum em tempos passados: a confiança. Em meio a uma crise financeira pela qual o Brasil passava, vendeu o negócio que chegou a ser um dos maiores do setor em Pernambuco e investiu em um produto que vende bem em qualquer época do ano: a cachaça. Nesse momento, apenas a Pinga Nordestina existia.

A fábrica cresceu e deixou o endereço inicial no bairro Boa Vista, em Garanhuns, para ocupar um espaço às margens da BR 423, onde uma réplica de uma garrafa imensa já deixava claro o produto fabricado ali. Há poucos anos, Cirilo vendeu o local e investiu em outra sede, muito maior, localizada no bairro Severiano Moraes Filho, onde está atualmente erguendo uma estrutura ainda mais robusta e focada em eficiência.

A marca Nordestina lançou vários tipos de embalagens e em 2005 foram iniciadas as exportações de cachaça e caipirinha para alguns países da Europa. Em 2008 foi lançada a Vodka Nordoff, o mix de bebidas de maior sucesso da empresa. Em seguida, a linha Nordoff Flavored Vodka passou a contar com sete sabores de frutas tropicais. As bebidas chegam atualmente aos estados de Pernambuco, Alagoas, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Sergipe e Bahia, além da Alemanha. Atualmente, a Ciber possui um mix de mais de 15 produtos, entre eles a Vodka Nordoff, a Nordestina (com as especificações Cachaça Adoçada, Ouro e Exportação), o Vinho Boa Páscoa, a Catuaba Fogosa, a Catuaba Donzela e o Licor de Menta Fino Nordestina. As cachaças do tipo Premium possuem um sabor requintado e doce que se deve ao descanso em barris de carvalho e por isso são tão apreciadas na Europa.

A Ciber participa de eventos em todo o país e realizou uma importante parceria com grandes nomes da rede hoteleira para expandir a inserção dos produtos no mercado. O investimento em tecnologia alemã e brasileira também possibilitou a otimização de processos.

“Foi muito trabalho e esforço em família para chegar até aqui. Hoje, meus filhos são uma engenheira química, dois administradores e uma arquiteta, todos envolvidos no negócio, além de outros familiares também. Tenho orgulho disso. Também contratamos consultorias fiscal e trabalhista, entre outras”, diz o presidente da Ciber.

Enquanto o mercado está demitindo funcionários, Cirilo planeja a contratação de mais 100 pessoas no próximo ano, para totalizar 200 entre equipes de produção e vendas. A área construída passará de 24 a 40 mil metros quadrados e a estrutura atual, que conta com laboratório, produção, logística, oficinas e armazenamento será incrementada. Outros produtos também entrarão no catálogo, bem como a produção de algumas bebidas em latinha.

Ao questionar se com essa ampliação estará realizado profissionalmente, Cirilo Gomes demonstra o que o fez passar de padeiro a exportador. “O sucesso de qualquer negócio é Deus, em segundo lugar a família e em terceiro o trabalho, a humildade e a honestidade. Tudo que conquistei até hoje foi com muito trabalho e posso dizer que temos solidez atualmente. Quando temos um negócio nesse porte, a gente não pode errar. E quanto mais o negócio cresce mais somos olhados. De uma coisa eu tenho certeza, estamos apenas começando o trabalho que eu sonho”, finaliza.

Por Edméa Ubirajara / Jornal Bons Negócios - Novembro 2017.

sábado, 9 de dezembro de 2017

EDSON DANTAS: Pastor e pai do acusado de ser um dos assinos do educador Betinho em 2015, vem a público falar sobre os erros da investigação.

"O que nos despertou a atenção foi que todas as testemunhas ouvidas, moradores, frequentadores e funcionários afirmaram que nunca viram meu filho no prédio", afirma o Pr. Edson a reportagem.
Folha de Pernambuco
Ademário Gomes tinha 19 anos quando foi indiciado por dois crimes: corrupção de menor e homicídio qualificado. Era um dos acusados pelo assassinato de José Bernard , o educador Betinho do Agnes, morto na noite de 16 de maio de 2015. Nesta quarta-feira (6), o pai dele, Edson Dantas, diretor do Colégio Presbiteriano Agnes Erskine deu uma entrevista ao Portal FolhaPE na qual fala sobre os erros da investigação que apontaram, injustamente, seu filho como criminoso. Dantas manteve-se em silêncio boa parte do tempo em que o processo correu e, três laudos depois, diz que a família recebeu aliviada as provas que inocentam Ademário, hoje com 21 anos.

Início das investigações
No começo, a gente estava naquela fase de ainda de buscar a verdade. Qualquer afirmação que a gente fizesse, teria sido como uma conjectura. Falei sobre a surpresa (com crime) e sobre a acusação (do filho, Ademário). Foi logo no começo, o inquérito não tinha sido nem concluído ainda. Com uma semana de investigação, o delegado já apontava os estudantes como responsáveis. Mas ele levou ainda quatro meses e 15 dias para concluir o inquérito e tudo o que foi apresentado foram esses fragmentos de digitais do meu menino, um fragmento de digital em uma cômoda da sala e, do menor, cinco digitais nos objetos utilizados no crime.

Testemunhas
O que nos despertou a atenção foi que todas as testemunhas ouvidas, moradores, frequentadores e funcionários afirmaram que nunca viram meu filho no prédio. Na audiência de instrução, meu filho estava presente e o Ministério Público perguntava à testemunha: você conhece aquele rapaz? Sabe quem é? Já viu alguma vez? E todos negaram. Nas filmagens das câmeras do prédio não existe nenhum registro de presença do meu filho e nem do menor.

Novos laudos

Nós contratamos um perito e, com a autorização da Justiça, trouxe a prova de que a digital que estavam atribuindo ao meu filho não pertencia a ele. Isso foi apresentado na audiência de instrução, quando o nosso perito levou as digitais e mostrou ao juiz e ao promotor: essa digital aqui não tem nada a ver com essa (diz, mostrando os documentos). Por conta disso, o juízo encaminhou para a Justiça Federal para fazer uma segunda perícia, que chegou a duas conclusões: 1) a digital não pertence ao acusado, a Ademário; 2) a digital pertence à vítima. Veja só: eles pegaram a digital da vítima e acusaram meu filho. O Ministério Público (MP), não satisfeito com esse resultado, se posicionou para que se fizesse uma terceira perícia, agora pelo Instituto de Criminalística (IC), que chegou às mesmas conclusões. O mesmo resultado teve a Polícia Federal. Nesse ínterim, o IITB (Instituto de Identificação Tavares Buril) mandou um ofício para o Ministério Público (MP) retificando o trabalho deles, os três papiloscopistas que, inicialmente e em entrevistas, afirmaram que a digital pertencia ao meu filho e as outras cinco, ao menor.

Eles dizem que no ofício enviado ao MP pelo IITB: “confrontos papiloscópicos resultantes das perícias realizadas no local de crime e no laboratório, como de praxe em nosso Estado, uma vez que não possui o sistema automatizado de análise de impressões digitais foi por comparação visual humana”. Eles elaboraram um laudo no olho. Aí eles enviaram esse ofício retificando e a única prova que tinha contra meu filho, que era a impressão digital (...). Então o que resta? Nada. A gente espera que o juiz determine uma absolvição sumária. Não só isso, esperamos também que os papiloscopistas sejam investigados pela Corregedoria.

Nova perícia para o adolescente

Quando saiu o laudo da Polícia Federal (PF) dizendo que a digital não pertencia ao meu filho, a defesa do menor solicitou que fosse feita a mesma coisa com as digitais dele. Aí esse material foi enviado para a PF em Brasília, que chegou à seguinte conclusão: as cinco digitais que eram atribuídas ao menor, quatro não têm como ser identificadas e a única que dá para saber de quem é, é da vítima, de Betinho. Aí se diz que é erro. É muito difícil aceitar que seja erro, foi um conjunto.

DNA

Eu não posso condenar ninguém, acusar ninguém, porque eu não quero fazer o que fizeram com a minha família. O que fizeram com esses dois estudantes. (...) Eu continuo acreditando nas instituições, mas eu sei que em todas elas existem pessoas que não correspondem à confiança que foi dada. Essas pessoas têm fé de ofício e, por isso, tiveram toda a credibilidade. O que foi que a mídia fez? Noticiou o que eles produziram, e muita gente acreditou. Quem não acreditou nessa história foi quem convivia com a gente. Esses papiloscopistas chegaram a afirmar de que o laudo deles tinha tanta credibilidade quanto o laudo produzido por DNA. O Ministério Público pergunta isso (nos autos) e os peritos do Instituto de Criminalística dizem o seguinte: de maneira nenhuma, esse laudo que foi feito ‘no olho’, está passível de erros. Um resultado de DNA é uma ‘prova ouro’ em termos do resultado do laudo. É para você ver o absurdo. Passaram quatro meses e 15 dias de investigação, todo esse tempo de exposição e de desgaste para todos nós.

“Um dia a verdade vai aparecer”

Foram momentos difíceis. Houve um susto muito grande, tanto pela morte de Betinho quanto pelas acusações dos estudantes e, pessoalmente, do meu filho. Meu mundo acabou, eu afirmei para mim mesmo. E ele disse: pai, eu nunca estive naquele prédio, nunca fui lá. Muitas vezes estávamos, a mãe dele e eu, angustiados, e ele dizia: ‘eu nunca fui lá, aquela digital não é minha não. Um dia a verdade vai aparecer’. E ela está aparecendo agora.

Ônus das acusações
A família toda foi penalizada. Ele estava na 3ª Série do Ensino Médio e, mesmo assim, ele foi aprovado em duas faculdades. Começou a estudar e quando foi em maio de 2016, que completou um ano e veio à tona toda a história de novo, nome, imagem, e tivemos que trancar a matrícula dele. (...) A vida dele é uma prisão domiciliar, praticamente. (...) A nossa vida toda parou.

Eu recebi ajuda não só emocional, financeira também. Tive uma custo muito alto para bancar toda essa situação. Algumas pessoas pensam que eu sou dono da escola, mas eu sou funcionário do colégio há sete anos, e eu recebi ajuda de muitas pessoas, por isso que a gente conseguiu ter uma estrutura para levar o caso. Eu sempre orei para que a verdade aparecesse, porque tem a vítima. Todo mundo gostava de Betinho, ele sempre agiu com muito profissionalismo dentro da escola. A vida privada é dele, e foi nessa vida privada que aconteceu o crime.

Eu cheguei a confrontar (Ademário): se a única maneira que você tivesse de escapar dessa situação fosse dizendo que esteve lá algum dia, não no dia do crime, você diz? Ele respondeu: "pai, eu não vou mentir". A pressão foi muito grande. Foi pedida a prisão preventiva dele. só quem passa por essa tensão é quem sabe o que é isso. Você tem um pedido de prisão batendo à sua porta. A gente não tinha experiência de nada, qualquer sirene já nos deixava assustados. Nesses dois anos e seis meses, não teve um dia de tranquilidade.

“Só precisa ler o processo”

Eu posso dizer que não precisa começar do zero, só precisa ler o processo, só precisa assistir às gravações das audiências de instrução. Tem material suficiente para perceber quem pode estar envolvido nesse crime. A gente vive um problema crônico. Esse processo passou por cinco promotores, a gente ia para uma audiência de isntrução, era o promotor de plantão, ele pega o processo. Vc acha q ele teve tempo de ler o processo e de assistir à audiência anterior? Eles vão lá para a peça acusatória, no final, e se baseiam naquilop ali. Eu espero mesmo que o ministério público designe um promotor para examinar profundamente o processo e as gravações da audiência de instrução. Eu tenho certeza que, assim, se derem tempo a um promotor o caminho para se chegar ao assassino vai ser bem claro

Um sentimento é de alívio, que o pesadelo está acabando. Mas, do outro lado, a luta continua, porque a gente precisa saber quem matou Betinho. Enquanto o nome do assassino não for revelado, muita gente ainda vai acreditar que foi Ademário. Torcemos para que justiça seja feita.

Nós vamos buscar os nossos direitos. Nós fomos penalizados, nós fomos envolvidos na cena do crime, toda a nossa família. “Ah, é filho de pastor. E olha aí o filho envolvido”, foi o q eu li. E outras coisas mais, porque as pessoas gostam de julgar. O dano foi muito grande. (...) eu cheguei a entregar minha carta de renúncia à escola e à igreja, mas nenhum dos dois aceitou, senão o dano teria sido bem maior.

Fonte: Folha de Pernambuco


sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

A MAGIA DO NATAL: Confira a programação deste fim de semana no Natal de Garanhuns

Um dos nomes da Jovem Guarda, The Fevers apresenta na Magia do Natal sua turnê “Vem Dançar”
Divulgação.
A Magia do Natal, nas terras de Garanhuns, não para: nesta sexta-feira (8), a programação recebe show da cantora Joanna, um dos nomes da Música Popular Brasileira. No mesmo dia, ainda se apresentam na festa o Grupo Harmonia de Flautas, o Coral Vozes das Colinas e a Banda Lux Time, esses três últimos iniciativas do Sesc Garanhuns.

Dona de sucessos como "Mãezinha do Céu", "Tô Fazendo Falta", "Amanhã Talvez" e "Recado", Joanna traz para o espetáculo Magia do Natal o romantismo da sua voz, forte característica que a fez reunir dezenas de sucesso em sua carreira de mais de 35 anos. Com 25 discos lançados, Joanna promete um show memorável e cheio de recordações.
No sábado (9), o grupo The Fevers comanda o palco principal junto com o Pastoril EREM João Fernandes e a cantora garanhuense Andrea Amorim. Antes dos shows, às 18h, o público confere o desfile do Papai Noel.

Um dos nomes da Jovem Guarda, The Fevers apresenta na Magia do Natal sua turnê “Vem Dançar”, que coleciona uma série de sucessos que atravessaram gerações. "Vem me Ajudar", "Mar de Rosas", "Marcas do que se for", "Cândida", "Por Causa de Você" e "Hey Girl" são alguns dos hits que não vão faltar no repertório da banda, que hoje já tem mais de 50 anos de carreira e vem percorrendo todo o Brasil com a nova turnê.

No domingo (10), após um novo desfile do Papai Noel, o grupo Coralino Raio de Luz, Léo Barros e Mistura Fina encerram as apresentações musicais do final de semana.

Toda a programação da Magia do Natal é gratuita. Os shows e apresentações culturais acontecem até o dia 31 de dezembro.

quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

DIRETO DO CEARÁ: Gestão garanhuense integra evento de fortalecimento de municípios

Foto cedidas pela Secretaria Municipal
de Desenvolvimento Econômico
O município de Fortaleza, no Ceará, recebe durante esta terça (05) e quarta-feira (06), a comitiva de Pernambuco em Missão Técnica “Fortalecer Municípios – Programa de Governança Local e Articulação Federativa”, organizada pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Pernambuco (Sebrae) e pela Frente Nacional dos Prefeitos (FNP), com o intuito de apresentar propostas para os municípios participantes, práticas que visam a desburocratização de processos e a melhoria do ambiente de negócios. Na ocasião, a secretária de Desenvolvimento Econômico de Garanhuns, Janecélia Marins participa do debate, representando o prefeito Izaías Régis.

Para o evento foram convidados diversos municípios de Pernambuco, com mais de 100 mil habitantes, que compõem o G100, para que conheçam o avanço na capital cearense, que tornou-se uma referência nacional para investimentos. Durante a abertura do evento, a titular da pasta apresentou o perfil econômico de Garanhuns, bem como o evento “Magia do Natal”, responsável por uma injeção na economia local durantes os meses de novembro e dezembro. “Podemos observar as práticas usadas aqui as quais resultam na desburocratização dos serviços públicos de atendimento aos empreendedores para que eles se sintam estimulados a abrir negócios, e levar para o nosso município, que também tem um grande potencial para receber investimentos de forma bem-sucedida”, afirmou Janecélia Marins.

Nesta terça-feira (05), os convidados puderam participar de uma coletiva de imprensa e reunião com o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, além de conhecer o portal de serviços Fortaleza Online. Já nesta quarta (06), será promovida uma visita à Sala do Empreendedor do Município de Horizonte, também no Ceará.

Por Aquilles Soares / Secom PMG

sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

SEBRAE: Sebrae promove I Encontro de Empretecos do Agreste Meridional


O Sebrae em Pernambuco promove, na próxima sexta-feira (01), o I Encontro de Empretecos do Agreste Meridional. O evento tem o objetivo de reunir àqueles empreendedores que já participaram do curso Empretec e desejam receber atualizações sobre o mercado com o palestrante Aluísio Alves Dias. As inscrições estão abertas e custam R$ 10. Os interessados devem se inscrever no site loja.pe.sebrae.com.br ou buscar informações pelos contatos (87) 0800 570 0800 e (87) 3221 3333.

O encontro vai acontecer na unidade do Sebrae em Garanhuns, no dia 1º de dezembro, das 19h às 21h. Na ocasião, serão repassados conteúdos que englobam diversas técnicas, entre elas visão de futuro, Plano Integrado de Metas e Ações, mix de marketing, Porter – Estratégia Genérica, Balanced Scorecard, indicadores de desempenho, estabelecimento de objetivos, metas e responsabilidades e dashboard.

Serviço - I Encontro de Empretecos do Agreste Meridional
Quando: 01 de dezembro de 2017
Onde: Auditório da Unidade Sebrae Agreste Meridional
Horário: 19h às 21h
Investimento: 10,00 reais
Inscrições: no site www.loja.pe.sebrae.com.br
Informações: (87) 0800 570 0800 e (87) 3221 3333

quinta-feira, 30 de novembro de 2017

PEDALANDO: Garanhuns Bike Race será realizado neste domingo (3)


Numa realização do Grupo Pedalada da Amizade, Garanhuns vivencia no próximo domingo (3) o 1º Garanhuns Bike Race. Trata-se de um evento de Mountain Bike, que contará com mais de 100 participantes, oriundos de Garanhuns e de diversas cidades nordestinas.

A concentração e largada do evento acontecem em frente ao Castelo de João Capão. Os participantes farão um percurso de 42km, disputando em seis categorias: Elite; Máster; Feminino; Turismo e Nelore (para ciclistas com mais de 90kg). “Vamos contar com ambulância, carro de apoio, pontos de hidratação, premiação e um percurso que chamará a atenção pela beleza e simbologia: a Centenária Trilha do Trem, entre os municípios de São João e Garanhuns”, registra Haroldo Veloso, um dos organizadores do evento.
O 1º Garanhuns Bike Race tem largada prevista para as 9h e conta com o patrocínio de empresas da cidade e do Governo Municipal de Garanhuns, através da Autarquia Municipal de Segurança, Trânsito e Transportes (AMSTT) e das secretarias de Saúde, Comunicação Social e Juventude, Esportes e Lazer, além de apoio da Polícia Rodoviária Federal (PRF); 9º BPM e 71º BI Mtz.

Com informações da SECON PMG